Arquivo | março, 2012

O primeiro bimestre – Jornalismo imparcial

27 mar

Em ritmo acadêmico, eis que se aproximam as primeiras provas do semestre. Analisando mentalmente o conteúdo das aulas até agora, posso resumir esse bimestre em uma palavra: imparcialidade. Algo que senão é debatido em sala de aula, permanece implícito em cada ministração dos professores. Não, meus professores nem sempre são imparciais, mas sem dúvida sabem tanto que nos permitem discordar da clareza de suas opiniões, e ao término das aulas eu saio da universidade pensando em um Brasil novo, que tenho descoberto nesses meses, um país inacabado, sem estrutura e base sólida. Um lugar, dito outrora, “paraíso” que não conheceu revolução e sim golpes político econômicos partindo da minoria elitizada de intelectuais, cheia de ideias novas trazidas do “velho mundo”. No jornalismo é importantíssimo ser imparcial, ainda que a imparcialidade seja relativa, afinal, quando você faz escolhas renúncia a alguma coisa. Logo não está sendo imparcial. Percebo que o importante mesmo em comunicação social é ser crítico e saber ouvir, quem ouve, pensa, analisa e classifica o que entendeu, fala o que concluiu, ou escreve.

Sabe aquele velho conselho: você tem dois ouvidos e uma só boca, ouça mais e fale menos. Parece estranho tentar aplicar isso em jornalismo, já que as pessoas desse meio são conhecidas por falar muito. Porém, quem fala muito sem ter ouvido bem primeiro, não tem nada a dizer. Penso agora que a imparcialidade jornalística, que meus professores querem ensinar não se trata de ficar em cima do muro, mas sim de ouvir todos os lados de uma história, procurando se manter neutro, para quando precisar falar ou escrever, tudo tenha sido bem filtrado e haja nas palavras algum senso bom e, porque não, justo.

Ká sant’Ana

Meu ingresso na faculdade de jornalismo

10 mar

Quando meu sonho se realizou, a emoção foi tanta que quis compartilhar com todos, a benção de Deus. Eis o e-mail que enviei à minha amiga de infância relatando detalhadamente a aventura.

Oi Lí tudo bem? Eu estou ótima, super feliz com essa benção maravilhosa que Deus me deu. Foi no fim da tarde do dia 27/02 que chequei meu e-mail e vi uma mensagem da central de relacionamentos da USC avisando que eu estava sendo chamada para apresentação de documentos do PROUNI até o dia 02/03, e junto com a mensagem uma lista de documentos anexados, os quais deveria reunir e tirar cópias. A mensagem também dizia que isso significava uma boa chance de eu ser aprovada para conseguir a bolsa, fiquei radiante a princípio, mas logo depois saí correndo para tirar xerox de tudo que era pedido e fui ver se já tinha alguns xerox sobrando, e graças a Deus tinha mesmo. Fiquei dois dias correndo atrás de documentos, fui à PREVIDÊNCIA SOCIAL, ao BANCO e até RECEITA FEDERAL… Decidi que iria em 29/02 pra ficar sossegada depois, mas não sabia como chegar a USC, aí lembrei que uma amiga minha, quando passou no vestibular e precisou fazer matrícula em Bauru, pagou um extra no ônibus de universitários e foi de boa. Fiz o mesmo, foi uma viagem gostosa e tranqüila, aproximadamente 50 minutos ou uma hora. Cheguei à USC com toda a documentação que pude reunir segundo a lista que me enviaram e depois de ter feito vários chec lists antes de sair de casa. Tal foi meu espanto quando encontrei uma salinha apertada, cheia de gente esperando ser atendida. O sistema era de senha, entrei na salinha as 19h20 peguei a senha 831, o monitor marcava senha: 753 sentei… As 21h30 minha senha foi chamada, apresentei a documentação, a moça cansada da exaustiva rotina que certamente não acabou naquela noite, antes das 23hs, recebeu minha pastinha com um sorriso “meio lábio” demonstrando satisfação pela minha organização, mandou-me assinar um papel, no qual ditara-me: “Fui classificada na lista de espera do PROUNI”, com muita educação disse para que eu aguardasse uma semana pela resposta decisiva de aprovação, para conter minha ansiedade ela disse: “Não é uma semana exata, espere receber um telefonema ou e-mail lá por quinta ou sexta-feira”. Saí da salinha aliviada e feliz, corri para ver onde ia pegar o ônibus que me trouxera, não achei nada, como ainda eram 21h40 da noite, e o motorista havia me dito que o ônibus ia partir 22h20, resolvi relaxar e comer meu sanduíche natural com pão de forma, que minha mãe preparou, caso eu sentisse fome. De repente o celular toca, é o motorista do ônibus, “Seu Nazi” (apelido dado pela galera do “busão” para sr. Antônio Nazaré): “Karina onde você está ? Como você vai embora? Já estamos próximo à Staroup (fábrica de confecção que fica na entrada de Botucatu). Gelei! Apavorada disse: “Como assim seu Nazi, eu estou aqui em frente a USC esperando o senhor com o ônibus!!!!!!!” Ele riu, e disse que estava com o ônibus estacionado na rua de trás da USC esperando os alunos. Ai….. Piadinha cretina, nessas horas é chato a maioria ir com a sua cara, as pessoas logo acham que podem sair fazendo piadinhas. Aliviada entrei no ônibus e voltei tranqüila para Botucatu, o transporte deixou-me na esquina da minha casa a 00h aproximadamente.

Depois disso, foi uma semana de ansiedade minha e da minha mãe, mas tudo bem, também foi de muita oração e entrega a Deus.

Dia 08/03 ao fim da tarde o telefone toca, era a secretária da USC dizendo que minha bolsa do PROUNI foi aprovada, fiquei muito feliz, quase sem fôlego, minha mãe chorou, eu chorei de alegria! Agradeci muito a Deus, e ela também.  Hoje dia 09/03 fui com ônibus da rodoviária  em Bauru, as 11hs da manhã fazer a matrícula, nem precisei me preocupar com o fato que não sei andar em Bauru, pois o ônibus que eu peguei depois que sai da rodoviária, quando chega em Bauru vai pra garagem e a  garagem deste ônibus é vizinha da USC, aí o motorista me deixou ao lado da universidade, eu fui atendida pra fazer a matrícula, em 5 minutos, porque não havia ninguém mais pra ser atendido, eram 13h45 mais ou menos, e depois peguei o ônibus na garagem pra voltar a Botucatu, e ainda economizei no valor da passagem R$2,50 porque não precisei pagar taxa de embarque. Cheguei aqui as 18h00. Moída de cansaço, mas feliz, muito feliz!!!!!!!!!

Graças a Deus, que me fez chegar até aqui, a Ele toda a honra e toda a Glória!

Porque sem Ele nada somos.